Capítulo 24

CAPÍTULO 24

Hihihi. “24”.

O capítulo começa com Nora deitada sobre um lugar com grama, à noite. Daí temos purple prose.

Eu pisquei várias vezes sucessivamente, apressando meus olhos a se adaptarem com a luz baixa. Quando virei minha cabeça de lado, um arranjo simétrico de galhos curvados brotando da grama se solidificou em minha visão. Vagarosamente, me levantei. Não conseguia tirar os olhos das duas esferas negras fitando-me bem acima dos galhos curvados. Minha mente então compreendeu a imagem familiar. Daí, num momento chocante de reconhecimento, percebi que estava deitada ao lado de um esqueleto humano.

O esqueleto não tem nenhuma influência aparente na história, então esse parágrafo é praticamente uma completa perda de tempo. Yay.

Nora reconhece que está num cemitério (apesar da descrição ainda ser um pouquinho purple prósica), e reconhece Patch sentado em cima de um túmulo, cantando (…por algum motivo).

Ele usava apenas uma calça jeans e camiseta, apesar de não ser uma noite quente.

Erm, como você consegue sentir frio, afinal? Achava que você era só uma imagem projetada….argh, tenho que parar de tentar achar lógica nisto.

Daí aparece de repente Rixon (o cara que disse que as cicatrizes do Patch eram de luta, lembram?), e começa uma conversa.

[Rixon] pressionou e arrastou seu polegar sobre seu lábio inferior.

Por quê?

Em uma nota separada, o editor deste livro sucks. Uma fala do Patch está no mesmo parágrafo de uma fala de Rixon – apesar de isso não ser proibido de ser feito, é antiquado e muito, muito desconfortável (o leitor se confunde quanto a quem está falando).

Rixon faz uma piada com necrofilia (classy), depois comenta que está na hora de ele e Patch possuírem os corpos dos seus respectivos Nefilins, irem pra cidade, e…

*tira uma lista do bolso*
“preencher as lacunas”
“obstruir a estrada”
“migrar para o interior”
“irrigar a amazônia”
“viajar para o hemisfério sul”
“play a love game, play a love game”…

Okay, vocês entenderam.

Patch não reage, e Rixon usa isso como desculpa para fazer exposition para o leitor: o mês do Cheshvan começa nesta noite, e por duas semanas eles podem possuir seus Nefilins, o do Patch sendo…

Chansey!

Me pergunto se nesses dias nenhum dos amigos ou familiares dos Nefilins acha suspeito eles virarem sex-crazed maniacs. Vai ver anjos caídos são ótimos atores.

Ah, exposition extra nos diz que anjos caídos não podem sentir nada. Maiores informações mais adiante.

Patch pergunta se Rixon já ouviu falar do Livro de Enoque. E ele gargalha super alto.

[Rixon] juntou as laterais das palmas de suas mãos, formando um livro com elas.

Por que ele fez isso? Quem faria isso numa conversa normal?

Ele diz que o livro é um mito e tal. Patch diz que o Livro, supostamente, explica um modo permanente de um anjo caído se tornar humano. Rixon diz que isso é idiota, porque o livro é só um conto de fadas, porque anjos caídos nunca foram humanos e nunca poderão ser, dizendo pro Patch esquecer isso e se satisfazer possuindo seu Nefilim.

Patch diz que NOOO, ele quer ser humano FOREBIS FUCK YOU, e que ele ouviu que, pra isso ele precisa… MATAR CHANSEY!!!!

– E não que eu queira tampar o assunto, mas você não pode matar o Chauncey. Nefilins não podem morrer. E você já pensou nisso? Se você pudesse matá-lo, você não poderia possuí-lo.

– Se eu matá-lo, me tornarei humano e não precisarei possuí-lo.

Isso… não… mas… o que… O QUE CARGAS D’ÁGUA… essa… conversa não faz um PINGO de sentido.

Patch conta sobre a visita de Dabria (ESSE… NOME….), e sobre a oferta dela de se tornar um anjo guardião. Rixon diz que ele deveria tentar isso, já que é muito mais confiável do que boatos sobre o Livro de Enoque. Ah, e ele nos dá…. *sigh* esta “sabedoria”:

– Se eu fosse você, tentaria me tornar um guardião. Eu até estou metade-considerando a oferta também. Pena que não conheça nenhum humano à beira da morte.

SÉRIO. SEI LÁ, VÁ NUMA GUERRA OU UM CONFLITO INTERNO NUMA CIDADE TUMULTUADA, OU NUMA BRIGA DE GANGUES, OU VÁ NUMA PRISÃO E IMPEÇA ALGUÉM DE SER EXECUTADO. OU PAGUE A OPERAÇÃO DE ALGUÉM QUE PRECISA DESESPERADAMENTE E NÃO TEM DINHEIRO. NO NOSSO MUNDO, MUITA GENTE MORRE. É FÁCIL ACHAR GENTE PRESTES A MORRER. APENAS VÁ ATÉ ELES E SALVE UM DELES VOCÊS SÃO COMPLETOS IMBECIS E EU ODEIO ESTE LIVRO.

Pronto. Desabafei.

Houve um momento de silêncio, daí Patch pareceu espantar seus pensamentos.

– Quanto dinheiro podemos conseguir até a meia-noite? – ele disse.

– Jogando cartas ou lutando boxe?

– Cartas.

Os olhos de Rixon brilharam.

– O que temos aqui? Um mauricinho? Vem aqui pra eu te dar um trato – ele prendeu Patch pelo pescoço, pressionando-o com a ponta do seu cotovelo, mas Patch o pegou pela cintura e arrastou Rixon para a grama, onde eles fizeram sexo selvagem e passional se alternaram em aplicar socos esmagadores.

Sei que diziam que a última vez em que esta cena fez eles pareceram crianças de 4 anos. Desta vez, eu preciso questionar a orientação sexual dos dois, já que eles fazem isso SEM ABSOLUTAMENTE NENHUM MOTIVO. Digo, ainda menos motivo que a última vez.

Daí eles param, porque Rixon faz um comentário sobre não querer ficar com a cara feia antes de ir ter seu momento com as garotas (o que não faz o menor sentido já que ele vai possuir o corpo do seu Nefilim… plotholes, plotholes), mas Patch insulta ele de novo, aí eles voltam a trocar socos.

Meu cérebro dói.

A conexão de Nora então se parte, e ela volta para o quarto.

– Então você definitivamente não é humano – eu disse. – Você realmente é um anjo caído. Uma pessoa ruim.

Isso extraiu um sorriso de Patch.

– Acha que eu sou tão ruim assim?

– Você possui outras pessoas. Possui seus… corpos.

Não me pergunte o porquê da pausa antes de “corpos”. Acho que a Nora é fã do William Shatner.

– Você quer possuir o meu corpo?

– Quero fazer muitas coisas com o seu corpo, e essa não é uma delas.

Patch então explica que o corpo que ele usa é como uma cobertura de vidro – ele não pode sentir coisas, apenas podê… sentí-las… como se estivesse atrás de um vidro. Ou algo do tipo.

Nora pergunta sobre Chansey, e Patch explica que ele é um Pokémon do tipo Normal, #113 na Pokédex, com uma evolução e uma pré-evolução (introduzidas em gerações diferentes), sendo, no anime, o ajudante das enfermeiras Jo-

TÁ, ele não disse isso (mas teria sido mais divertido). Chansey é um Nefilim, um metade-anjo-caído-metade-mortal, que pode ser possuído no mês do Cheshvan. Porque ele, apesar de ser imortal por ser um Nefilim, tem as mesmas sensações que qualquer pessoa normal. Incluindo a sensação boa de playing a love game.

– Se você não pode sentir, por que me beijou?

Patch começou a traçar um caminho a partir da minha clavícula, daí seguiu para o sul, parando no meu coração. Eu o sentia pulsando pela minha pele.

– Porque eu sinto aqui, no meu coração – ele disse calmamente – Eu não perdi a habilidade de sentir emoções. – ele me observou de perto – Em outras palavras, nossa conexão emocional não está danificada.

“Não entre em pânico”, pensei. Mas minha respiração já estava mais acelerada, mais seca.

– Quer dizer que não pode sentir alegria, ou tristeza, ou…

– Desejo. – um sorriso distante.

Mas… mas… alegria e tristeza são estados da mente (isto é, “do coração”). Como ele poderia não sentir isso? E mesmo que isso seja verdade, há momentos do livro em que (de acordo com a narração desta mula), ele sentiu alguma emoção, seja ela pena ou preocupação genuína… ou até raiva e desprezo pela Dabria, no flashback. Isso me lembra os Nobodies de Kingdom Hearts – ou eles são EXCELENTES atores em fingir emoções, ou o roteirista é simplesmente imbecil.

E no caso deste livro, estou tendendo para a segunda alternativa.

Como adicional, no caso de “desejo”, o Rixon pareceu bem animado com o pensamento de se divertir com as humanas no flashback. Vai ver a autora quer dizer que ele não pode ter uma ereção, mas não quis usar esta palavra, especificamente (nem nenhum de seus sinônimos).

E como ADICIONAL EXTRA, se Nefilins são metade-anjos-caídos, e anjos caídos não podem sentir desejo…….. eles……. nascem via inseminação artificial?!

ESSA HISTÓRIA É UM QUEIJO SUÍÇO DE TANTOS BURACOS QUE TEM!

Nora pergunta por que Patch caiu.

– Luxúria.

Eu engoli seco.

– Luxúria por dinheiro?

*facepalm* SIM, NORA. LUXÚRIA POR DINHEIRO. POR SINAL, SABIA QUE A CEGONHA LHE TROUXE PROS SEUS PAIS!? Argh.

Patch diz que na época dele, ninguém sabia o que realmente aconteceu com os primeiros anjos caídos (porque os anjos não podiam voar nem olhar pra Terra pra observá-los NEM NADA ASSIM, NÉ?!), e que na opinião dele, eles tinham virado humanos, o que era uma coisa super duper. E ele estava tão apaixonado por uma humana que parecia valer a pena. Nora comenta sobre Dabria e a oferta de ser guardião, mas ele diz que é ele mesmo que quer porque quer ser humano.

Nora então menciona que Dabria é a nova psicóloga da escola, o que deixa Patch bem alertado, porque ele não sabia disso…… acho bizarro ele nunca ter esbarrado com ela na escola, mas acho que isso é aceitável, all things considered. Patch então resolve que tem que levar Nora pra casa e ir pra escola investigar; ambos suspeitam que Dabria ainda tem sentimentos pelo ex-anjo (lol pun), e que poderia estar tentando apagar a Nora por isso.

Nora então suspeita de Dabria ser o Ted (completamente esquecendo a figura feminina que ela viu fora de Victoria’s Secret antes que aparentemente era uma entidade separada do Ted… ou será que era?), e o capítulo termina com Patch indo pegar o seu carro enquanto Nora aguarda.

I’m bored. Este é o enredo? Que decepção.

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: